Dr. Eduardo de Freitas ., Advogado

Dr. Eduardo de Freitas .

(19)Maceió (AL)
3seguidores40seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Advogado. Docente.

Principais áreas de atuação

Direito do Consumidor, 14%
Direito do Trabalho, 14%
Direito Administrativo, 14%
Direito de Família, 14%
Outras, 44%

Primeira Impressão

(19)
(19)

19 avaliações ao primeiro contato

Direito Administrativo

Direito Civil

Direito Imobiliário

Direito Penal

Direito Previdenciário

Direito de Família

Mais avaliações

Comentários

(7)

Recomendações

(4)
E
Edu Rc
Comentário · há 4 meses
O sistema carcerário está falido? Ninguém duvida. O presídio é horrível? Idem. Tem que melhorar o local onde os presos ficam? Certamente que sim. Quer questionar se a prisão preventiva é ruim e não deveria ter 40% de criminosos nesta situação? OK, pode-se debater isto também. Mas falar em encarceramento em massa no país me beira ao desconhecimento da violência que assola o Brasil. O mais curioso é que mesmo sabendo que o presídio faz o inferno parecer um hotel 5 estrelas, TODOS sabem disto e nem assim o marginal deixa de praticar crime... Imagina se o presídio fosse um lugar razoavelmente bom... Está preocupado com a família do marginal que está encarcerado? Está preocupado com o marginal que foi preso? Já pensou em perguntar como está a vítima? Como a família ficou depois de ter um ente assassinado? Não, isto não interessa a ninguém... Claro que acho que o presidiário deve ficar em um local minimamente dígno e humano, mas antes de tudo me preocupo com a vítima e a família da vítima. DEPOIS sim vou me preocupar com o marginal. Com a família dele, bem, era ele quem deveria ter se preocupado não acha? Qual o problema de ter mais de 720.000 presos? Se considerar que nem 10% dos assassinatos são solucionados, ou seja, mais de 90% dos assassinos estão NAS RUAS E SEQUER SABEMOS QUEM SÃO, imagina a quantidade de marginal que pratica furto e roubo que estão soltos... Uma conta em papel de padaria das últimas 2 décadas dá para dizer fácil que tem uns outros 500.00 assassinos e outro 1.000.000 de assaltantes soltos, como se nada houvesse acontecido e nem mesmo sabe-se quem são. Dá para afirmar que no país falta ao menos 2 milhões de vagas. "Não há como negar que a criminalidade violenta como um todo aumentou exponencialmente nestes últimos anos, talvez em decorrência da grave crise econômica enfrentada pelo país, no seio da qual recursos deixaram de ser investidos em importantes áreas sociais, cujo abandono propicia um potencial aumento do crime." -> A crise chegou há pouco tempo, a violência cresce desde SEMPRE. A violência cresceu devido a incompetência do país em prevenir e punir marginal, simples assim. Além disto, se verificar nos últimos anos o nordeste foi onde houve maior crescimento econômico no país e nem por isto a criminalidade deixou de subir, ao contrário é onde mais cresce. Pouco importa o quanto se gaste em área social ou qualquer área: crime é escolha individual. "Diante disso, não se pode afirmar que a lei brasileira seja branda e promova a impunidade." -> Menor praticamente não é punido, pouco importa a gravidade do crime, raramente marginal cumpre o limite de 30 anos dado a quantidade de benefícios... Visto que quase 90% dos assassinos sequer são descoberto, o que seria impunidade para você? "Não surpreende, então, que 55% dos presos brasileiros têm entre 18 e 29 anos; 64% são negros e 75% não completaram o ensino fundamental." -> Comete-se crime de acordo com as possibilidades e recursos disponíveis. Quais as chances de um rico sair batendo carteiras, roubando carros e um pobre analfabeto cometer fraude, desvio de dinheiro, tráfico de influência... Se bater carteira e desviar dinheiro tivessem a mesma facilidade, advinha onde o batedor de carteira iria atuar...
E
Edu Rc
Comentário · há 5 meses
"Requeira à Polícia Federal. Se preencher os requisitos legais para tanto, provavelmente, lhe será concedido o direito de adquirir, registrar e possuir uma arma legalmente dentro de sua residência." -> O problema é que porte de armas não é como uma CNH, que após os testes a pessoa o obtém. A posse / porte depende do delegado estar de acordo também e isto é discricionário, podendo ser negado sem justificativa. Basicamente, uma pessoa com armas na cintura nega a um cidadão o direito ter uma também. Aliás, a mudança é justamente para tirar a arbitrariedade e subjetividade, tornar o porte de armas como a CNH, onde após os testes e provas objetivas o porte é concedido. Achar que a pessoa está mais insegura com arma é... achismo. Você pode não querer, você pode não sentir-se seguro. Este é um sentimento individual, mas na prática há sim mais segurança. Pergunte as pessoas que reagiram armas e estão vivas... "Ah, mas e as que morreram?" ao menos tiveram a chance de se proteger e hoje nem isto temos. Além disto, nem todos que reagem armados notificam a polícia e o motivo é óbvio: muitos acabam presos por se proteger (veja o caso do cunhado da Ana Hickman). Mais ainda, os índices de homicídios, assaltos e roubos nem de longe diminuíram ao longo os anos em que o Estatuto do Desarmamento esteve me vigor, muito pelo contrário, vem subindo a cada ano que passa. Mesmo que o marginal chegue de armas em punho, pode entrar em um prédio e raramente terá alguma resistência (SP vive isto com regularidade), pois ter armas LEGAL é uma raridade no país. Permitir o cidadão ter armas, no mínimo vai impor alguma dúvida a quem quiser invadir um prédio. Entrar em um bar, a mesma coisa... Ainda que o marginal chegue de armas em punho, que venha em dupla, pode ser que 10 cidadãos no bar tenha uma arma LEGAL e certamente o marginal não irá dominar TODOS, em algum momento de distração alguém reage. Além disto, precisa levar em conta a população rural. A polícia hoje não atende sequer nas capitais, que dirá no interior, em sítios e fazendas... O que dizer a estas pessoas? "Não tenha armas, confie no Estado para te proteger"??. O que o Estado não pode e não deve é tirar do cidadão o direito de sentir-se protegido. Ainda que seja mera sensação, permita que o cidadão escolha. Armas não é solução para a violencia, é a solução para o cidadão, para o indivíduo e naquele momento que um marginal entra na casa, no momento em que um marginal tenta coagir o cidadão, a família... Se armas não dá segurança, qual motivo de TODAS, ABSOLUTAMENTE TODAS as autoridades terem segurança fortemente armados e com armamento que a grande parte da população NUNCA terá acesso?

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/09/mulher-atira-em-ladroes-que-invadiram-casa-nos-eua-e-mata-um.html

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/01/jovem-mae-de-18-anos-dispara-fuzil-e-mata-invasor-para-proteger-bebe.html

O áudio da ligação foi gravado pela polícia:

- Estou com meu bebê sozinha em casa, vocês podem mandar alguém imediatamente?
- Suas portas estão trancadas?
- Sim. Tenho duas armas nas minhas mãos, posso atirar nele se ele tentar entrar?
- Não posso dizer que você pode fazer isso, mas faça o que você precisar fazer para proteger seu bebê.

Invadiu a casa? Na dúvida é marginal, deve levar chumbo grosso e a Lei tem OBRIGAÇÃO de proteger a vítima. É o mínimo.

Perfis que segue

(40)
Carregando

Seguidores

(3)
Carregando

Tópicos de interesse

(23)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Maceió (AL)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Dr. Eduardo de Freitas .

Av. Dr. Jorge Montenegro de Barros, Cd. Jardins de la Reina, A-2, 01; Santa Amélia - Alagoas (Estado) - 57063--000

(82) 98899-90...Ver telefone

Entrar em contato